Pular para o conteúdo principal

Tipos de séries e seus padrões


E aí, pessoal. Do nada me bateu a vontade de gravar mais um podcast e segui a vibe. Acreditem. Fiquei tão surpresa quanto vocês, mas segue mais um papo só nosso falando bobagens e coisas aleatórias. A bola da vez foi sobre série. Depois que finalmente consegui terminar de assistir Shadowhunters eu fiquei bem reflexiva sobre os padrões dos seriados que assisto. Liguei o microfone e a conversa com vocês fluiu. Escuta nosso podcast no final aí, mas também segue um resuminho dos tipos:

1. Ideal (♡): Aquela série perfeita que eu acredito que todo roteirista tenta alcançar. Aquela série que tem uma estória massa, desfecho melhor ainda e finaliza perfeitamente. Sabe aquelas apresentações no gelo que a galera passa um tempão treinando e quando finalmente acontece fica aquela gravação perfeita, rica de detalhes e só gratidão? Exatamente. ME INDIQUEM SÉRIES ASSIM, PELO AMOR DE DEUS. Never Ever I Have, On My Block, Orphan. Black e The Witcher. Manda mais!

2. Enrolona (⚠): Essa daqui é a que chamo de bomba no podcast. Aquela série que no início é excelente, perfeita, tudo de bom, mas então vai continuando e a estória vai deixando de ser aquela coisa toda. E a estória vai continuando e você fica pensando em quando essa consagrada vai finalizar e ela não finaliza. Chega na 15ª temporada e a gente só está pedindo a Deus pra ela terminar antes que chegue no limite do limite. Grey's Anatomy, The Walking Dead, Supernatural... Quem diz mais?

3. Bajuladora (☣): Estilo enrolona, mas pior ainda por que quer fazer de tudo para agradar o público e continuar sua audiência. Muda a personalidade do personagem e faz casais improváveis acontecerem. E o desfecho muda tanto que no final o objetivo da série nem faz mais o mesmo sentido que antes. Essa daqui é só decepções. Ou não, né? Pois cada um com seus gostos. E tem quem curta. #RespeitoÉTudo #Paz #NãoJulgo

4. Controversa (☠): Mais uma no estilo enrolona, mas ao invés de querer agradar o público ela quer ser polêmica e contraditória. Imagine aí as situações mais improváveis e o final que ninguém nunca imaginaria pra determinada série. Exatamente: Game of Thrones. Mas cada um com seus defeitos, não é mesmo amores? Como falei no podcast a lição de moral que fica: não adianta o quanto você se empenhe, pois o fracasso pode acontecer independente do seu esforço.

5. Injustiçada (⚖): Nossa, esse sim é um assunto delicado pra mim. Teve tanto seriado que eu amava os personagens, a estória. Era tudo massa, tudo perfeito mas quando menos esperei o tapa na cara: cancelado ou finalizado sem um final digno. Cadê o respeito com o público que assiste não é mesmo? O que nos resta é a nossa imaginação tentando supor através de teorias o final que a série teria. Quem mais pesquisa pra se confortar aqui sou eu. Everything Sucks, Sense8, The Get Down... Escreva nos comentários uma série que te dói quando você lembra dela.

E finalmente o nosso papo. Deita aí na tua cama como eu fiz, fica olhando pro teto e escuta aí nosso podcast:



E eu quero indicações de verdade verdadeira. Pode mandar por aqui, por e-mail ou pelas redes sociais. Xero pra vocês, coisas lindas.

Postagens mais visitadas deste blog

A artes digitais absurdamente belas de Tati MoonS

Minha gente, eu descobri esse perfil do instagram por meio do twitter e eu fiquei sem fôlego com o tamanho do talento desta garota chamada Tatiana (auto-retrato na foto acima) com nome artístico de Tati MoonS . Ela é uma artista digital espanhola e dona dessas artes que estou prestes a apresentar a vocês.

A nova tendência do cabelo descolorido e suas variações

Eu tô chocada que eu tô criando muita publicação no blog sobre Moda & Beleza que não é da minha essência. Quer dizer, eu acho lindo e adoro acompanhar, mas quase nunca crio coragem pra meter a cara e tentar fazer alguma dessas coisas que eu idolatro. Será que eu vou mudar isso futuramente? É uma mudança bem radical a gente descolorir o cabelo e, por exemplo, mudar algo que era preto para loiro. Já observei muito essas mudanças radicais entre pessoas influentes como artistas e queria compartilhar com vocês esse estilo que eu tô admirando bastante ultimamente.

As makes coloridas de Euphoria para se inspirar

E aí, meus queridos. Eu fiz justamente a publicação anterior falando sobre a série Euphoria para comentar algo que provavelmente vai marcar esta geração. Como eu falei na publicação sobre a série , além da estória em si a mesma também se destacou na parte visual tanto com a filmografia quanto os looks dos personagens, os cenários e as maquiagens. E como eu fiquei apaixonada, doida pra tentar refazer essas maquiagens e falhar, eu decidi apresentar esse trabalho incrível das principais maquiadoras e responsáveis por essas obras de arte. No caso são Doniella Davy e Kirsten Coleman , que eu já deixei o instagram pra vocês seguirem e acompanharem o trabalho delas.

Uma lista de desejos focada em desenvolvimento pessoal

Nem todos sabem, mas apesar desse meu lado criativo de gerenciar um blog escrevendo sobre diversos assuntos eu também tenho meu lado lógico. Desde pequena eu sempre adorei a área de exatas, por mais complicado que fosse pra mim no início. Com muita luta, choro e vela me formei em Engenharia Civil e recentemente estou prestes a concluir uma pós-graduação na área que atuo: Engenharia Legal. 

Séries da Netflix: Bom dia, Verônica

Bom dia, meus anjinhos. Tudo bem com vocês? Essa publicação eu estou devendo já tem um bom tempo, visto que eu assisti essa série logo no início do pico da sua fama em outubro desse ano. Fiz aquela maratona dos oito episódios da primeira temporada e, nossa, é boa demais! Tem várias críticas sobre violência doméstica, sistema judiciário e outros temas muito importantes sobre o Brasil. Por isso que eu estou aqui para apresentar essa belezinha a quem ainda não decidiu dar uma chance. A série é baseada em um livro escrito por Andrea Killmore, Ilana Casoy e Raphael Montes . Seu elenco é composto por vários atores que já conhecemos de outras novelas e shows da TV brasileira como Tainá Müller, Eduardo Moscovis e Camilla Morgado. Interpretada por Tainá, a Verônica é uma escrivã da polícia que passa a investigar casos pesados de violência doméstica e de um possível assassino em série. Aos poucos, ela vai conectando os fatos que estão envolvidos em algo muito maior. Eu fiquei muito ar