Pular para o conteúdo principal

Resenha do filme Baby Driver

Aviso: Abaixo contém spoilers do filme.

Em Ritmo de Fuga é um filme de ação estrelado pelos atores Ansel Elgort, Kevin Spacey e Lily James onde o jovem Baby trabalha para um criminoso como motorista de fuga para quitar suas dívidas. Ele tem plenas habilidades de corrida e fuga que é um dos destaques principais, fora a trilha sonora que é sensacional. Baby tem um problema de audição, um zumbido permanente no ouvido, que adquiriu em uma acidente de carro quando criança que resultou na morte dos seus pais. Para se livrar desse ruído constante o personagem interpretado por Ansel Elgort escuta música quase que 24h. O filme é orquestrado pela música entre assalto, perseguição e fuga com muita energia. A pessoa que assiste fica concentrado em todo o enredo sem querer perder um segundo e eu fiquei exatamente assim.

Baby é um motorista de fuga que está em dívida com um chefão do crime. Ele só precisa fazer mais um trabalho, mas é agora que tudo vai dar errado.



Baby tem um pai adotivo deficiente auditivo e paraplégico. O seu pai não aprova seu trabalho e sempre insiste para ele largar e tentar outra atividade legal. Baby se comunica com Joseph, seu pai, por linguagem gestual e em todas as dinâmicas da dupla com danças, com o carinho envolvido entre os ambos rola aquele afeto do telespectador onde a pessoa percebe que Baby é uma boa pessoa. Tem tanta gente que às vezes entra no mundo do crime por não ter escolha e pra cuidar da sua família comprando alimentação, remédio e coisas do tipo. Rola aquela comoção por que tem tantas pessoas no mundo, ainda mais PCD (Pessoa com deficiência) que não receberam a oportunidade e têm que se virar do jeito que pode.



Em meio à essa tensão que é a de Baby dirigir entre um assalto, correr por sua vida e voltar pra seu lar ele conheceu a Debora, sua nova paixão. Essa parte tem toda aquelas histórias de romance bonitinha, de se conhecer, se encantar pela pessoa, sair num encontro e se apaixonar. É impossível olhar pra cara do Ansel e não lembrar de A Culpa é das Estrelas, o que nos deixa bem nostálgicas e emocionadas. Isso pra quem gosta de filme de romance.



Decidido em sair dessa vida do crime pela sua namorada e seu pai adotivo, Baby começa a trabalhar como entregador de pizza e se destaca pela sua rapidez. Tudo se torna flores e dá a impressão de que tudo já deu certo, ele cumpriu sua dívida com o chefe criminoso e estava trabalhando honestamente até encontra-lo novamente e o mesmo obriga-lo a ajudar em mais um serviço, mostrando que ele não manteve a sua palavra e se dependesse do mesmo Baby iria trabalhar pra sempre como seu motorista de fuga. Baby apreensivo com as pessoas próximas a ele serem machucadas vai mais uma vez em outro assalto e paralelamente monta um plano de fuga dele com sua namorada pra um lugar distante e inacessível pra esse chefe. E o que acontece depois você pode descobrir assistindo esse filme diretamente na Netflix. Ele é muito bacana e vai te entreter muito bem. Confere lá!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A nova tendência do cabelo descolorido e suas variações

Eu tô chocada que eu tô criando muita publicação no blog sobre Moda & Beleza que não é da minha essência. Quer dizer, eu acho lindo e adoro acompanhar, mas quase nunca crio coragem pra meter a cara e tentar fazer alguma dessas coisas que eu idolatro. Será que eu vou mudar isso futuramente? É uma mudança bem radical a gente descolorir o cabelo e, por exemplo, mudar algo que era preto para loiro. Já observei muito essas mudanças radicais entre pessoas influentes como artistas e queria compartilhar com vocês esse estilo que eu tô admirando bastante ultimamente.

A artes digitais absurdamente belas de Tati MoonS

Minha gente, eu descobri esse perfil do instagram por meio do twitter e eu fiquei sem fôlego com o tamanho do talento desta garota chamada Tatiana (auto-retrato na foto acima) com nome artístico de Tati MoonS. Ela é uma artista digital espanhola e dona dessas artes que estou prestes a apresentar a vocês.

As makes coloridas de Euphoria para se inspirar

E aí, meus queridos. Eu fiz justamente a publicação anterior falando sobre a série Euphoria para comentar algo que provavelmente vai marcar esta geração. Como eu falei na publicação sobre a série, além da estória em si a mesma também se destacou na parte visual tanto com a filmografia quanto os looks dos personagens, os cenários e as maquiagens. E como eu fiquei apaixonada, doida pra tentar refazer essas maquiagens e falhar, eu decidi apresentar esse trabalho incrível das principais maquiadoras e responsáveis por essas obras de arte. No caso são Doniella Davy e Kirsten Coleman, que eu já deixei o instagram pra vocês seguirem e acompanharem o trabalho delas.

Séries da Netflix: The Umbrella Academy

E aí, amiguinhos. Ontem, em plena sexta-feira, estreou a nova temporada dessa série queridíssima não só por mim, mas por vários outros seriadores. Como The Umbrella Academy é da Netflix, todos episódios da segunda temporada estavam disponíveis e eu sextei da melhor maneira não é, maratonando tudo em um dia. Sonho de princesa. É uma coisa maravilhosa, mas também pode ser um tremendo erro. Eu terminei de assistir tudo, fiquei na vontade de assistir mais e vou ter que esperar sabe-se lá quantos meses ou anos (a dramática). Percebi que ainda não tinha falado dela com vocês aqui, por isso estamos batendo esse papo.

Séries da HBO: Euphoria

Eita que eu tô feliz demais por compartilhar essa série massa com vocês. Euphoria é uma das minhas séreis favoritas. Ela tem um ingrediente mágico que a torna muito especial. Seria esta uma possível versão de Skins com adolescentes com problemas. Problemas relacionados a vícios, relacionamentos amorosos, busca pela identidade, traumas, rejeição, sexo, bullying, gravidez e aborto, orientação sexual e familiares. A série aborda principalmente o vício da Rue por drogas e como ela tenta combatê-lo. Euphoria se destaca também por causa dos seus looks com maquiagens coloridas e vestimentas impecáveis.