Pular para o conteúdo principal

Jogo para PC: Detroit - Become Human



O destino me deu essa graça de colocar a coleção de jogos da empresa Quantic Dream, que antes estavam disponíveis apenas no PlayStation, agora disponível para computador. Recebi essa notificação pela Steam e fiquei chocada pelo meu desejo ter se tornado realidade. Já fez um tempão que eu fui na casa da minha amiga e jogamos um pouquinho de cada um desses jogos no seu PS4 e fiquei desejando também ter os jogos para desfrutar, tanto por causa dos gráficos impecáveis quanto a estória de cada um. Vou apresentá-los a vocês na medida que eu for jogando e conhecendo um pouquinho dos três.

No universo de Detroit - Become Human, nós estamos todos no futuro, precisamente no ano 2038, onde inteligências artificiais evoluem a ponto de se tornarem ferramentas importantes utilizadas por humanos para atividades domésticas e demais serviços cotidianos. Nós temos a experiência de fazer escolhas na vida de três androides: Connor de modelo RK800; Markus de modelo RK200; Kara de modelo AX400. Cada um enfrentará dilemas morais e quem decide suas escolhas somos nós. São diversos finais possíveis e isso depende exclusivamente do jogador. Os personagens são famosos também por serem atores reais mundialmente conhecidos e representados no jogo como Bryan Dechart (Dave da série True Blod), Jesse Williams (Jackson Avery da série Grey's Anatomy) e Valorie Curry (Charlotte de Crepúsculo). Joguei um pouco o início da estória de cada um pra vocês conhecerem:

Connor RK800


Connor é o protótipo mais atual da CyberLife, empresa responsável pelos andróides. Ele é designado pela companhia para investigar e lidar com os deviant, andróides que têm uma comportamento desviado com sentimentos e emoções. Sua missão é encontrar o "bug" que faz com que os andróides apresentem esse erro para a correção ou a aniquilação desses modelos defeituosos antes que vire notícia na mídia. Ele acompanha esses casos junto com o detetive Hank Anderson.

Markus RK200


Markus é um andróide designado para cuidar do famoso pintor Carl Manfred. O pintor tem deficiências e Markus é necessário para ele se alimentar, tomar banho, comprar materiais pinturas e limpeza da casa. Após um incidente familiar por parte do filho de Carl, Leo, Markus muda completamente sua rotina. Ele tem que se separar do seu dono e encontrar sua própria identidade. Após ele "despertar" o mesmo segue em busca de um grupo de andróides deviant para a luta com objetivo de liberdade e rebelião contra humanos.

Kara AX400


Kara é uma empregada destinada a servir uma família composta por seu dono Todd Williams e sua filha Alice. Kara cria um laço muito forte com a filha e com o passar do tempo ela observa a relação abusiva que Todd tem com sua filha, batendo nela e a tratando mal. Em uma situação Kara desperta-se quando o pai agressivo e drogado bate em sua filha. Depois disso elas seguem na busca por um local onde podem ser felizes e seguras.



Enfim, essas estórias nem precisavam de muito pra me conquistar. Eu sou suspeita em falar desse jogo por que ele tem os temas que eu mais gosto: uma visão do futuro envolvendo tecnologia semelhante a algumas séries que acompanho desse mesmo tema como Black Mirror, Upload e The Feed; jogo interativo onde o próprio jogador tem que tomar decisões importantes em situações de conflito e com infinitas possibilidades de final; humanização de inteligências artificias que nos fazem ter uma perspectiva diferente do ser humano. E pra saber o final de todos os protagonistas, você vai ter que jogar por que vão ser suas escolhas que vão determinar qual fim eles terão.


FICHA TÉCNICA
Nome: Detroit - Become Human (2020)
Desenvolvedor: Quantic Dream
Gênero: Ação | Aventura | Interativo | Drama | Ficção Científica
Preço: R$ 134,99 na Steam
Armazenamento: 55 GB
Avaliação: ★★★★★ - ♡ (5/5)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A nova tendência do cabelo descolorido e suas variações

Eu tô chocada que eu tô criando muita publicação no blog sobre Moda & Beleza que não é da minha essência. Quer dizer, eu acho lindo e adoro acompanhar, mas quase nunca crio coragem pra meter a cara e tentar fazer alguma dessas coisas que eu idolatro. Será que eu vou mudar isso futuramente? É uma mudança bem radical a gente descolorir o cabelo e, por exemplo, mudar algo que era preto para loiro. Já observei muito essas mudanças radicais entre pessoas influentes como artistas e queria compartilhar com vocês esse estilo que eu tô admirando bastante ultimamente.

A artes digitais absurdamente belas de Tati MoonS

Minha gente, eu descobri esse perfil do instagram por meio do twitter e eu fiquei sem fôlego com o tamanho do talento desta garota chamada Tatiana (auto-retrato na foto acima) com nome artístico de Tati MoonS. Ela é uma artista digital espanhola e dona dessas artes que estou prestes a apresentar a vocês.

As makes coloridas de Euphoria para se inspirar

E aí, meus queridos. Eu fiz justamente a publicação anterior falando sobre a série Euphoria para comentar algo que provavelmente vai marcar esta geração. Como eu falei na publicação sobre a série, além da estória em si a mesma também se destacou na parte visual tanto com a filmografia quanto os looks dos personagens, os cenários e as maquiagens. E como eu fiquei apaixonada, doida pra tentar refazer essas maquiagens e falhar, eu decidi apresentar esse trabalho incrível das principais maquiadoras e responsáveis por essas obras de arte. No caso são Doniella Davy e Kirsten Coleman, que eu já deixei o instagram pra vocês seguirem e acompanharem o trabalho delas.

Séries da Netflix: The Umbrella Academy

E aí, amiguinhos. Ontem, em plena sexta-feira, estreou a nova temporada dessa série queridíssima não só por mim, mas por vários outros seriadores. Como The Umbrella Academy é da Netflix, todos episódios da segunda temporada estavam disponíveis e eu sextei da melhor maneira não é, maratonando tudo em um dia. Sonho de princesa. É uma coisa maravilhosa, mas também pode ser um tremendo erro. Eu terminei de assistir tudo, fiquei na vontade de assistir mais e vou ter que esperar sabe-se lá quantos meses ou anos (a dramática). Percebi que ainda não tinha falado dela com vocês aqui, por isso estamos batendo esse papo.

Vesgo: Músicas mixadas com aquele toque especial do brasileiro

E aí, meus queridos. Ultimamente estive animada para indicar coisas aqui no blog e aproveitando que conheci recentemente essa obra de arte presente no YouTube hoje a indicação é do canal de músicas chamado VESGO que tem uma leve semelhança do VEVO. Será que foi coincidência ou proposital? O idealizador do canal se chama Erickon Fox (foto abaixo). O canal existe desde 2015 e já conta com mais de 1 milhão de inscritos e mais de 233 milhões de visualizações em todos os vídeos. Sucesso que chama, né? Eu conheci esse canal após um vídeo de uma garota dançando a música Blinding Lights de The Weeknd na versão Os Barões da Pisadinha bombar na internet. Tais ligado na dança, né? Eu só fiquei como ela quando descobri esse canal show. Eu já amo músicas mixadas por vida, também amo música internacional e nosso som nacional aí pegando essa mistura de tudo o que eu gosto só deu em paixão à primeira visualização.