Pular para o conteúdo principal

Lorde, a extraordinária revelação musical de 2013!


Ella Maria Lani Yelich-O'Connor, mais conhecida pelo nome artístico Lorde, é uma cantora, compositora neozelandesa. Ella nasceu na cidade de Auckland, Nova Zelândia em 7 de novembro de 1996. Filha de Vic O'Connor, um engenheiro civil, e Sonja Yelich, uma premiada poeta neozelandesa, ela foi criada no subúrbio de Devonport, Auckland ao lado de mais três irmãos, sendo um casal de irmãos mais novos e uma irmã mais velha. Ela tem ascendência croata e irlandesa.


Com doze anos de idade, participou de um concurso de talentos promovido pela escola dela, localizada na cidade de Auckland. Interpretando a canção "Warwick Avenue", da musicista britânica Duffy, Yelich-O'Connor teve a sua apresentação gravada por um pai de um amigo; a gravação acabou por parar nas mãos de Scott Maclachlan, um agente que ficou impressionado com o talento da então aspirante. Em seguida, Maclachlan entrou em contato com Yelich-O'Connor e com os pais dela, falando sobre o futuro que a jovem poderia ter como artista. Ele acabou por se tornar no empresário da cantora, conseguindo para ela um contrato com a filial da Universal Music na Nova Zelândia.


Ella adotou como nome artístico Lorde, que foi inspirado na fascinação que ela tinha pela aristocracia e pela realeza. No início, a cantora chegou a ter em mente 'Duke' ('duque' em português), mas rapidamente descartou por achar a expressão muito masculina. Em seguida, ela escolheu a palavra 'Lord' ('senhor' em português), que é um título de nobreza do Reino Unido. Mas como todos os lordes britânicos são homens, a artista decidiu pegar a palavra no inglês, Lord, e acrescentar a letra 'E' no final, de modo que seu nome fictício ficasse mais feminino, e também porque, para ela, soou e pareceu mais "legal". A admiração da jovem pela realeza influenciou ainda a composição de Royals, o single de estreia de sua carreira.


Lorde compõe todas as suas músicas. Até os treze anos, ela escrevia contos, mas com o passar do tempo, a artista passou a se dedicar a criar canções; no início, de forma despretensiosa, mas com o passar do tempo, ela foi se aperfeiçoando durante a criação de suas composições. Lorde é constantemente comparada a a artistas como Sky Ferreira, Florence and the Machine, Lana Del Rey e Grimes. Ainda foi comparada a Kimbra, Beyoncé Knowles e The Weeknd. Confiram abaixo as músicas de seu mais recente álbum:



Você acredita se eu te disser que Ella tem 17 anos? Pois é, apesar de ser jovem, Lorde tem muito mais talento e personalidade que muitos artistas pops por aí. Royals, a música central de seu álbum de estreia, Pure Heroine, caçoa da obsessão dos rappers com carros e joias.
“Estava compondo algo que achava meio bobo. Eu sou uma pessoa sarcástica e ácida na maior parte do tempo”. (Artigo de Rolling Stone)
E também em várias entrevistas Lorde demonstrou sua sinceridade impactante criticando cantores, como por exemplo abaixo ela fala sobre a música Come and Get It de Selena Gomez.
“Eu amo muito música pop, mas sou feminista e o refrão dessa música é ‘when you’re ready, come and get it from me’ ['quando estiver pronto venha e me pegue']. Eu estou cansada de ver as mulheres sendo retratadas dessa forma”. (Artigo de PapelPop)
E também das músicas de Lana Del Rey.
"Ela é ótima, mas eu escutei aquele álbum da Lana Del Rey e o tempo todo eu estava pensando que aquilo não era uma coisa saudável que as garotas mais jovens deviam escutar, você sabe: ‘Eu não sou nada sem você.’ Esse tipo de pensamento desesperado não é uma coisa saudável para jovens garotas, nem mesmo crianças, estarem escutando'". (Artigo de Lana Del Rey Brasil)
Lorde tem conceitos polêmicos, tornando-a autêntica e com um glorioso futuro a se seguir. Eu adorei conhecer Ella. E vocês? Beijox e até o próximo post! 

Postagens mais visitadas deste blog

A nova tendência do cabelo descolorido e suas variações

Eu tô chocada que eu tô criando muita publicação no blog sobre Moda & Beleza que não é da minha essência. Quer dizer, eu acho lindo e adoro acompanhar, mas quase nunca crio coragem pra meter a cara e tentar fazer alguma dessas coisas que eu idolatro. Será que eu vou mudar isso futuramente? É uma mudança bem radical a gente descolorir o cabelo e, por exemplo, mudar algo que era preto para loiro. Já observei muito essas mudanças radicais entre pessoas influentes como artistas e queria compartilhar com vocês esse estilo que eu tô admirando bastante ultimamente.

A artes digitais absurdamente belas de Tati MoonS

Minha gente, eu descobri esse perfil do instagram por meio do twitter e eu fiquei sem fôlego com o tamanho do talento desta garota chamada Tatiana (auto-retrato na foto acima) com nome artístico de Tati MoonS . Ela é uma artista digital espanhola e dona dessas artes que estou prestes a apresentar a vocês.

Resenha: A Barraca do Beijo de Beth Reekles

Desde que a Netflix lançou o segundo filme da Barraca do Beijo apareceram tweets na minha linha do tempo do perfil do blog com comentários negativos que me deixaram curiosa para entender o que estava acontecendo. Essas críticas envolviam os personagens principais do filme e suas atitudes tóxicas e machistas, coisas essas que eu não tinha percebido quando assisti os filmes. Mais uma coisa que eu não sabia e que eu só fiquei sabendo nesse exato momento que estou escrevendo pra vocês é que o livro A Barraca do Beijo foi feito por uma cientista. Beth Reekles, a autora do livro, é uma garota de exatas, formada em Física pela Exeter University. Mas nas horas vagas ela gosta de ler e escrever no Wattpad. O livro fez tanto sucesso nessa plataforma com mais de 19 milhões de acessos e 40 mil comentários, além de vencer o Prêmio Watty de Ficção Adolescente mais popular que eu entendi tudo. A senhora Netflix não ia deixar essa oportunidade passar batido, não é mesmo?

As makes coloridas de Euphoria para se inspirar

E aí, meus queridos. Eu fiz justamente a publicação anterior falando sobre a série Euphoria para comentar algo que provavelmente vai marcar esta geração. Como eu falei na publicação sobre a série , além da estória em si a mesma também se destacou na parte visual tanto com a filmografia quanto os looks dos personagens, os cenários e as maquiagens. E como eu fiquei apaixonada, doida pra tentar refazer essas maquiagens e falhar, eu decidi apresentar esse trabalho incrível das principais maquiadoras e responsáveis por essas obras de arte. No caso são Doniella Davy e Kirsten Coleman , que eu já deixei o instagram pra vocês seguirem e acompanharem o trabalho delas.

Conheça: Budah

A apresentação dessa semana entra na categoria nacional com artistas brasileiros com mais uma inclusão de xodós que eu tenho dado replay quase que diariamente. Brandha Rangel (com nome artístico Budah) tem 24 anos e é estudante, cantora e compositora com gênero musical voltado para Rhythm and blues ou r&b residente em Vitória, Espírito Santo. Ela tem se destacado com rap e hip hop no Brasil. Em suas músicas ela fala tanto sobre amor quanto questões sociais. Quer bancar a romântica? Escuta Budah! Quer se emponderar com letras feministas? Escuta Budah! Conheci seu trabalho através da sua participação em episódio da PineappleStormTV do projeto Poesia Acústica com a faixa "Acabou" com Lourena e Azzy. Eu curti bastante a sua voz e decidi explorar na internet em busca de outros trabalhos de sua autoria ou participações com outros artistas. De lá pra cá, foi só alegria. Suas músicas viraram meio que rotina para mim e, sendo assim, eu queria compartilhar um pouco dessas mú